sábado, 1 de junho de 2013


À Brasileira: Com Daniela Mercury e show de encerramento, Parada está mais verde e amarela

Confira a ordem dos trios elétricos que vão compor o trajeto da manifestação neste domingo.
A 17ª Parada do Orgulho LGBT de São Paulo – que ocorre neste domingo (2), a partir das 12h, na Avenida Paulista – está com uma cara mais brasileira. O grande destaque é para a cantora Daniela Mercury, que se apresenta ao vivo com sua banda no terceiro trio elétrico. Às 19h ocorre o show de encerramento com as cantoras Mariene de Castro e Ellen Oléria, no palco montado na Avenida Ipiranga.

Quem comanda o som do trio oficial de abertura são os DJs Jura e Zambianco, residentes da casa noturna Tunnel. No quarto trio, o da Visibilidade de Travestis e Transexuais, a discotecagem fica por conta de Tico Malagueta e Ginger Hot, ambos do clube A Lôca. “Será um carnaval pop. Dá pra dançar como a Madonna e a Britney, dá pra rebolar como a Gretchen e voltar a ser baixinho da Xuxa”, promete Tico sobre seu set.

O último trio – que traz uma campanha contra a permanência do deputado Marco Feliciano na presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara – é resultado de uma parceria entre a APOGLBT e a famosa festa Gambiarra. Nele, o DJ Miro Rizzo executa o que a MPB tem de mais dançante.

Solidariedade

Uma campanha promovida pela APOGLBT e a Agência de Notícias da Aids vai recolher alimentos durante a 17ª Parada. Um caminhão baú seguirá atrás do quarto trio para que as pessoas possam entregar suas doações, que posteriormente serão direcionadas a diversas entidades filantrópicas que prestam auxílio a famílias carentes.

Confira a ordem dos trios:

1º) Oficial APOGLBT – Trio de abertura
2º) Google
3º) Empresa de Turismo da Bahia (Bahiatursa) e Grupo Gay da Bahia (GGB) – com show de Daniela Mercury
4º) Oficial APOGLBT – Visibilidade de Travestis e Transexuais
5º) Central Única dos Trabalhadores (CUT)
6º) Sindicado dos Enfermeiros no Estado de São Paulo (SEESP)
7º) ONG Ação Brotar pela Cidadania e Diversidade Sexual (ABCD’S)
8º) Secretarias de Cultura, Justiça e Saúde do Estado de São Paulo
9º) Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (Apeosp)
10º) Sindicato dos Comerciários de São Paulo (SECSP)
11º) Associação Cultural da Pluralidade Sexual (ACPS)
12º) Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABGLT)
13º) Secretaria de Municipal Promoção da Igualdade Racial (SEPIR SP)
14º) Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania – Coordenadoria de Assuntos da Diversidade Sexual e Coordenadoria da Juventude
15ª) Disponível.com
16º) Salete Campari
17º) Oficial APOGLBT – Trio de encerramento “Fora Feliciano!”

Para o armário, nunca mais! – União e conscientização na luta contra a homofobia

Com o tema do 17º Mês do Orgulho LGBT de São Paulo, a APOGLBT pretende dar uma resposta ao recrudescimento do conservadorismo, observado no atual cenário político do Brasil. Após o reconhecimento da visibilidade e a algumas conquistas, a população LGBT passou a ser abertamente perseguida por setores fundamentalistas e intolerantes que visam tolher a igualdade plena, o respeito às diversidades e a laicidade do Estado.

Ao afirmar “Para o armário, nunca mais!”, a Parada diz que a luta pela isonomia de direitos é um caminho sem volta e enfrenta as forças retrógradas que querem levar @s LGBT de volta para o gueto, a marginalidade e a clandestinidade. A sociedade brasileira já não abre mão da concretização da cidadania, por isso, precisa se manter unida e consciente para que novos avanços sejam garantidos, sem que haja retrocessos.

Fonte: LEANDRO RODRIGUES / APOGLBT



terça-feira, 28 de maio de 2013



É como eu li uma vez em um livro. A nossa outra metade ela pode estar em qualquer outro lugar do mundo. Claro, você pode errar, você pode depositar fé e acreditar que aquele relacionamento que você levou antes, com força imensurável de querer ser aquela a sua outra metade não tenha dado certo mas, pelo menos tentou; afinal, quem nunca deu a cara pra bater não sabe o que é encarar a vida. É oscilar, é chorar durante a noite, é rir durante o dia, é falsear felicidade só para não magoar os outros mas, cara uma hora… alguém, sim alguém que você esteve perto ou até mesmo que por consequência do destino passou por você e deixou uma ponta de interesse, ela em um futuro - distante ou não- pode te trazer uma felicidade tão grande que nem pode ser descritas em textos ou canções porque será bem longe do tamanho significado que ela tem em sua vida. A música em um momento que ela pode se encaixar… mas descrever o sentimento entre ambos, não mesmo. 
…..e sabe de uma coisa; pra encontrar jamais devemos acreditar que essa nossa outra metade irá bater em nossa porta e dizer: “Oi, sou eu sua outra metade” NÃO! Do mesmo jeito que você o aguarda, sua metade estará na mesma situação que você. Então batalhe, encare a vida, mostre o seu potencial. Sem esforço, sem vitória.
…e outra coisa. Quando encontrar VALORIZE; assim como surge o tesão, surge o amor…assim como surge a preocupação, surge o ciúme, que se diga de passagem de leve nunca faz mal a ninguém mas, valorize de corpo e alma. Entregue-se por completo e seja sempre recíproco a tudo pois amor é dar e receber, é ter e valorizar.
Att. Amor Gay





Após 54 anos juntos, casal consegue obter licença oficial de casamento, em dezembro de 2012.

John McCluskey e Rudy Henry assinaram o seu pedido de casamento e fizeram história como o primeiro casal do mesmo sexo a receber uma licença de casamento em Pierce County.

"É emocionante", disse McCluskey, 76 anos. "Nós nunca sequer pensamos que iriamos chegar a este dia."

Henry, 78 anos, estava animado também, mas por estar recuperando-se de um derrame, disposições especiais foram feitas para a cerimônia.

Licenças de casamento de pessoas do mesmo sexo tornaram-se disponíveis somente após o Referendo 74, que legaliza essas uniões, ter sido aprovado no estado de Washington.

O amor é paciente.